sexta-feira, 21 de novembro de 2008

GOVERNO DO ESTADO FAZ DOAÇÃO ATRAVÉS DO PROGRAMA MATA VERDE

Biofábrica fornecerá 53 milhões
de mudas para o PAC do Cacau


O PAC do cacau que prever investimentos de 2.3 bilhões de reais na economia cacaueira baiana contará com 53 milhões de mudas produzidas nas unidades do Instituto Biofábrica de Cacau. Elas serão doadas pelo Governo do Estado através do Programa Mata Verde desenvolvido pela Superintendência de Agricultura Familiar (SUAF) da Secretaria de Agricultura da Bahia. O programa vai beneficiar 35 mil famílias de pequenos agricultores familiares em 120 municípios baianos.

Esta é a segunda etapa do programa, na primeira, foram entregues 1.3 milhão de mudas em 48 municípios com um total de 4.5 mil agricultores familiares e assentados beneficiados. De todo o alimento consumido na mesa dos brasileiros cerca de 65% vem da agricultura familiar. "O governo Wagner resgata uma dívida social com os pequenos produtores", ressalta o Diretor-Geral da Biofábrica Moacir Smith Lima. Ele diz que o Governo do Estado demonstra enorme sensibilidade com os pequenos produtores familiares e também com os moradores das cidades "é um olhar no futuro", diz.

Na história da Biofábrica é a primeira vez que um governo estadual distribui em grande escala mudas gratuitamente. Para o Diretor-Geral da Biofábrica ao contribuir para fixar o homem no campo ajuda a evitar o nascimento de cinturões de miséria nas cidades. O governo do estado está investindo R$ 55 milhões de reais no programa. Somente de banana resistente a pragas serão distribuídas 8 milhões de mudas e ainda fruteiras de alta produtividade a exemplo de abacaxi, açaí, cacau, cajá, cupuaçu, goiaba, graviola, jenipapo, maracujá, abacaxi e pinha.

Dia de Campo

Na terça-feira dia 25 a Biofábrica promove um dia campo. Serão convidadas lideranças de movimentos sociais, imprensa e integrantes da Superintendência da Agricultura Familiar (SUAF). O dia de campo acontece na unidade de produção de Banco do Pedro, distrito de Ilhéus e na Estação Djalma Bahia (Edjab), em Una onde foram plantadas 50 hectares de mandioca de alto rendimento, desenvolvida pela Embrapa, que serão transformadas em manivas (pedaços de caule: sementes) quantidade suficiente para plantar 300 hectares.

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

COLETA SELETIVA - ILHÉUS RUMO AO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

Desenvolvimento Sustentável é construído sobre “três pilares interdependentes e mutuamente sustentadores” — desenvolvimento econômico, desenvolvimento social e proteção ambiental. Esse paradigma reconhece a complexidade e o interrelacionamento de questões críticas como pobreza, desperdício, degradação ambiental, decadência urbana, crescimento populacional, igualdade de gêneros, saúde, conflito e violência aos direitos humanos.
COLETA SELETIVA

Você sabe para aonde vai o seu lixo? Atenção, a responsabilidade é sua
Você já se perguntou para onde vão os resíduos do seu dia-a-dia depois que você dá adeus a eles? É bom se perguntar... A cada dia cresce a preocupação com o meio ambiente e com as conseqüências trágicas que nossas atitudes acarretam para o planeta. O lixo continua existindo depois que o jogamos na lixeira e a "varinha mágica" que pode fazê-lo desaparecer corretamente chama-se reciclagem. É aí que entra a coleta seletiva. A melhor solução é separar o lixo que produzimos e pesquisar as alternativas de destinação, ecologicamente corretas, mais próximas.
Leia mais:
Implemente a coleta seletiva onde você mora
Você sabe a diferença entre lixão, aterro controlado e aterro sanitário?
Coleta seletiva e reciclagem: quem faz?
Segundo Helio Mattar, diretor-presidente do Instituto Akatu, os três "Rs" (reduzir, reutilizar e reciclar) têm importância fundamental. "É possível gerar menos lixo e provocar um impacto ambiental menor reduzindo o consumo de produtos desnecessários, reutilizando sempre que possível e separando sempre os materiais recicláveis", analisa.
É possível gerar menos lixo e provocar um impacto ambiental menor reduzindo o consumo de produtos desnecessários, reutilizando sempre que possível e separando sempre os materiais recicláveis
O objetivo da coleta seletiva é permitir essa reciclagem do lixo. "Quando misturamos o lixo orgânico (restos de alimentos, por exemplo) com o lixo reciclável, nós 'sujamos' o material retornável, praticamente inviabilizando a reciclagem. E a reciclagem é um processo muito importante porque reaproveita as matérias-primas, fazendo com que não tenham que ser novamente extraídas da natureza", explica Helio.
A reciclagem faz bem para o meio ambiente também porque, além de economizar matéria-prima, a fabricação de um produto a partir da reciclagem costuma consumir menos água e energia do que a partir do material virgem. "Para fabricar uma latinha de alumínio reciclada é preciso apenas 5% da energia demandada para produzir uma latinha a partir do alumínio virgem", conta Helio.

Dados alarmantes
Para você ter uma idéia do volume de lixo produzido diariamente, Helio Mattar dá um exemplo: "O montante produzido no Brasil todos os dias daria para pavimentar com 11 centímetros de lixo as duas pistas de uma estrada com 500 quilômetros de extensão. É um volume imenso. Naturalmente, este lixo precisa ser coletado, transportado e destinado pelo poder público, o que custa caro". No mundo inteiro, entre lixo domiciliar e comercial, são produzidos, por dia, dois milhões de toneladas.
Você sabe o quanto de lixo uma só pessoa produz ao longo de sua existência? Pare para analisar. "O Akatu fez um cálculo que mostrou que uma única pessoa, ao longo de sua vida (72 anos, em média), produz lixo suficiente para encher até o teto um apartamento de 50 metros quadrados. Se isso parece pouco, basta fazer esse cálculo para cinco famílias de quatro pessoas, que precisarão de um prédio inteiro de dez andares, com dois apartamentos de 50 metros quadrados por andar, para colocar todo o seu lixo. E se levarmos este cálculo à Zona Metropolitana de São Paulo e seus 17 milhões de habitantes, precisaríamos de 850 mil prédios. Para efeito de comparação, a cidade de São Paulo não chega a ter 25 mil prédios", contabiliza Helio.
Os números são mesmo alarmantes. Por isso, os benefícios da coleta seletiva são muitos. Segundo o diretor do Akatu, a coleta especificamente em bairros, clubes e pequenas comunidades, tem, também, a função de criar um movimento de a conscientização das questões relacionadas ao lixo, ao uso exagerado de embalagens e ao desperdício de alimentos.
Solucionando o problema
Em geral, a população pensa que cada um de nós faz pouca diferença com o volume de seu lixo individual. Mas esta preocupação precisa ser disseminada devagar e sempre. "É importante lembrar que, em longo prazo, o impacto dessas pequenas atitudes, multiplicadas por um número cada vez maior de indivíduos e que vivem cada vez mais tempo, pode definir o futuro do planeta em que vivemos. Isto porque, apesar de simples, tais atos têm um efeito em cadeia", ratifica Helio.
Os bons exemplos vêm das classes mais baixas, que representam a maioria dos consumidores conscientes. "O estudo Como e por que os brasileiros praticam o consumo consciente, divulgado pelo Instituto Akatu em 2007, revelava que, entre os consumidores conscientes brasileiros, 11% pertencem à classe A, 32% à classe B, 36% à classe C e 21% às classes D e E", diz o diretor.
Coleta seletiva > Todos pode ajudar
E as estatísticas continuam. A boa notícia é que, segundo relatório da Associação Brasileira de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (ABRELPE), dos 5.564 municípios brasileiros, 65% já possuem iniciativas de coleta seletiva. "O volume de lixo coletado no país saltou de 96 mil toneladas diárias em 2003 para 140 mil toneladas em 2007, um aumento de 45%. Desse total, 60% não têm um destino final adequado", ressalta Helio.
Segundo ele, a cultura do descartável propicia o acúmulo, nos lixões e aterros, de quantidades cada vez maiores de resíduos, produtos fora de uso e embalagens desnecessárias. "Nem todos precisariam ter como fim as latas de lixo. Até 30% dessa montanha produzida diariamente nas cidades brasileiras é composta por materiais recicláveis, que, se adequadamente separados, coletados e encaminhados, poderiam ser reaproveitados na confecção de novos produtos por meio dos processos de reciclagem", garante. A ABRELPE estima que cerca de 10 milhões de toneladas de resíduos sólidos deixem de ser coletados todos os anos e acabem por ter um destino incerto, geralmente inadequado.
A coleta, o transporte, o tratamento e a decomposição do lixo são processos que geram gases de efeito estufa
A coleta seletiva também contribui para conter o aquecimento global. Como? Helio Mattar explica: "A coleta, o transporte, o tratamento e a decomposição do lixo são processos que geram gases de efeito estufa. Primeiro pelo uso de combustíveis fósseis em todo o processo de coleta e transporte dos resíduos, depois pelo consumo de energia quando há tratamento do lixo e, finalmente, pela emissão de metano na sua decomposição". Assim, quanto menos lixo houver, menor será o volume de emissões de gases que agravam o efeito estufa.
Adesão à idéia
Muitas empresas aderiram ao movimento de preservação do planeta e incluíram a coleta seletiva em seu cotidiano. Agora, multiplicam as informações entre seus funcionários. "Em geral, as empresas estão dedicando mais atenção ao reaproveitamento e reciclagem de materiais especificamente. Podemos dizer que elas estão se tornando também mais responsáveis sócio e ambientalmente, pois desenvolvem mais ações nesse sentido", explica Mattar.
E o retorno é bastante positivo. Pelo que parece, os consumidores estão cada vez mais atentos ao comportamento das empresas em prol do meio ambiente. Segundo pesquisa realizada pelo Akatu, os brasileiros têm valorizado mais as empresas que caminham na direção da sustentabilidade. "Nos últimos anos, cresceu - de 36%, em 2005, para 43%, em 2006 - a proporção de consumidores que usam seu poder de compra e de comunicação para premiar empresas que tenham práticas adequadas de responsabilidade social e ambiental. O que mostra que a consciência no consumo é também levada à apreciação das empresas sob critérios sociais e ambientais, e não apenas os tradicionais critérios de preço, qualidade, inovação e design", compara o diretor do instituto.
Agora que você já sabe um monte de coisas sobre a coleta seletiva do lixo, faça a sua parte. Para começar, procure as cores da coleta multi-seletiva nas ruas e estabelecimentos comerciais: azul para papel e papelão, vermelho para plásticos, verde para vidros e amarelo para metais. Tente também separar seus resíduos domésticos e encaminhá-los para reciclagem. E não fique triste se cada um dos seus materiais, cuidadosamente separados, sejam lançados dentro do mesmo caminhão. Na cooperativa, eles são separados por tipo e subcategorias.
Iniciativas como esta e muitas outras contribuem para melhorar a nossa própria qualidade de vida - e o planeta só tem a agradecer. A reciclagem pode poupar muitos recursos naturais: a cada 50 quilos de papel velho reciclado, uma árvore é poupada; cada mil quilos de vidro reciclado poupa 1.300 quilos de areia; mil quilos de plástico reciclado salvam milhares de litros de petróleo e a mesma quantidade de alumínio que não vai para as latas de lixo economiza cinco mil quilos de minérios da natureza. E isto é só o começo. Bom, não é?
Carolina Mouta

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Seguro-desemprego é liberado para associados da Colônia Z-34

A partir da próxima segunda-feira (24) os associados da Colônia Z-34 poderão sacar o seguro-desemprego referente ao defeso do camarão deste ano. A informação foi prestada, na tarde de ontem (18), pelo coordenador de Intermediação para o Trabalho e Seguro-desemprego, Joaquim Oliveira, aos dirigentes da entidade de classe, durante movimento liderado pelo presidente da Z-34, Reynaldo Oliveira dos Santos (Zé Neguinho) O coordenador é ligado a Secretária Estadual de Trabalho e Emprego e a decisão foi bem recebida pelos diretores e associados da Z-34.
A manifestação foi direcionada à Secretaria Estadual de Trabalho e Emprego e ocorreu em frente ao Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC), em Ilhéus, onde ela ocupa uma sala. Anteriormente, várias tentativas foram feitas pela Colônia Z-34 para a liberação do seguro-desemprego. Em resposta a uma delas, foi alegado que o prazo do mandato do presidente tinha sido expirado, o que não corresponde a realidade, conforme Zé Neguinho. A ata de posse da diretoria foi enviada em tempo hábil, tanto que os seguros-desemprego correspondente à época foi sacado pelo pescador.
A colônia de Pescadores–Z-34 tem sede no bairro do Malhado, zona norte da cidade de Ilhéus, e possui mais de um mil associados. Segundo seu presidente, o impasse criou muitos problemas para a entidade, isso em decorrência da falta de informações precisas sobre o bloqueio do seguro-desemprego, o que deixou muitos pescadores apreensivos.
Segundo Reynaldo Oliveira dos Santos, o 2º período de defeso do camarão acontece entre os dias 15 de setembro e 31 de outubro. O Seguro-desemprego é o único meio que o pescador tem para se manter enquanto aguarda a reabertura da pesca do camarão, desta maneira deve ser sacado no inicio do defeso. “Quando não é liberado, o pescador fica impossibilitado de comprar o mínimo necessário para sustentar sua família”, como enfatizou o presidente.
O defeso é um recurso utilizado pelo Governo Federal, através do Ministério do Trabalho, com o objetivo de preservar espécies. É repassado pela Secretaria de Trabalho e Emprego da Bahia. Durante o período do defeso do camarão é pago dois salários, como forma de manter as famílias de pescadores, segundo explicação de Reynaldo Oliveira dos Santos.

domingo, 16 de novembro de 2008

BAIANÃO 2009 - VAI SER DECIDIDO NO MATA-MATA

Veja qui a Formula de Disputa do Baianão 2009

A fórmula para as próximas duas edições do Campeonato Baiano de Futebol foi definida nesta quarta-feira na sede da Federação Baiana de Futebol (FBF) em reunião com os representantes dos clubes e da federação. O campeonato de 2009 começará no dia 18 de janeiro e tem como novidade a volta da decisão do título no sistema de mata-mata. Nas duas últimas edições, a competição foi decidida em quadrangular final no sistema de pontos corridos.
Bahia, Ipitanga e Vitória optaram pela forma de disputa nº 1, onde seriam dois grupos com seis equipes cada. Ao final se classificariam quatro clubes em cada grupo, as equipes que tivessem o pior desempenho em cada grupo seriam rebaixadas. Nessa formula cada equipe disputaria 22 jogos.
Os demais clubes com direito a voto decidiram pela proposta de disputa nº 2. Por ter obtido a maioria dos votos, essa foi a fórmula aprovada. Nesta proposta existe apenas um grupo em que as 12 equipes se enfrentam em partidas de ida e volta e que classifica os quatro primeiros às semifinais, (1º x 4º e 2º x 3º) em jogos de ida e volta que decidirão os dois finalistas. Cada equipe disputará no mínimo 22 e no máximo 26 jogos.As associações campeã e vice-campeã do Campeonato Baiano de 2009 terão acesso à Copa do Brasil de 2010.
As finais do Baianão estão marcadas para os dias 26 de abril e três de maio. O clube de pior desempenho na fase classificatória será automaticamente rebaixado para o Campeonato Baiano de Futebol da 2ª Divisão 2010, dando lugar ao campeão Baianinho 2009.As partidas serão realizadas aos domingos, às 16h, e as partidas no meio da semana (quartas e quintas) acontecerão às 20h30. Neste ano, os jogos aos domingos foram realizados às 15h por exigência da rede de televisão que comprou os direitos das partidas, gerando muita reclamação por parte dos clubes. Ficou decidido também que o valor mínimo do ingresso será de R$ 10.
Dentre outros assuntos abordados, o presidente da FBF, Ednaldo Rodrigues, informou que os laudos técnicos de capacidade, segurança e higiene dos estádios que sediarão os jogos deverão ser protocolados na FBF impreterivelmente até 12 de dezembro, após as vistorias pelos órgãos responsáveis.

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

OS INFIÉIS, QUE SE CUIDEM!

O Supremo Tribunal Federal, validou resolução do Tribunal Superior Eleitoral

Agencia Estado - 12/11/2008 16:45

STF confirma decisão do TSE sobre fidelidade partidária
Seis ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) já votaram na sessão de hoje considerando válida a resolução do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que determinou a perda de mandato por infidelidade partidária. Por enquanto, apenas o ministro Eros Grau votou contra a resolução. O placar de seis votos já garante a maioria que reconhece a validade da resolução.
Porém, os ministros fizeram a ressalva de que a decisão terá validade até que o Congresso aprove uma lei sobre perda de mandato para políticos infiéis aos partidos que os elegeram. Já votaram a favor da resolução os ministros Joaquim Barbosa - relator das Ações Diretas de Inconstitucionalidade (Adins) que questionam a decisão do TSE -, Carlos Alberto Menezes Direito, Cármen Lúcia, Ricardo Lewandowski, Ellen Gracie e Carlos Ayres Britto.

terça-feira, 11 de novembro de 2008

FUTEBOL: Problemas financeiros preocupam presidente do Itabuna

11/11/2008 11:14 Sandro Badaró

O Itabuna Esporte Clube vêm enfrentado sérios problemas financeiros, proporcionando boatos de que o clube desistiria de participar do Campeonato Baiano de 2009. O presidente do clube, Ricardo Xavier, afirmou que o clube enfrenta dificuldades, mas jamais pensou na hipótese de desistir da competição.
O dirigente acaba de lançar o programa Sócio Torcedor do Itabuna, que oferece ao torcedor o direito de ter um setor reservado no Estádio Luis Vianna Filho, livre acesso a sede social do clube, além de camisa oficial da equipe.
Porém mesmo com as dificuldades, o Itabuna, precisará contratar 13 jogadores para a próximo temporada, além da comissão técnica. O clube pretende entrar no Baianão 2009 com 26 jogadores, entretanto, atualmente, só conta com 13 atletas:
Baggio e Paulo Rogério – GoleirosAlfredo e Joades – LateraisAlex e Leandro Souza - ZagueirosLigeirinho - VolanteAmauri e Vinícius – MeiasNeto Berola, Nino, Vágner e Talíson - Atacantes

domingo, 9 de novembro de 2008

Covivência Amigável? ou Falta de Planejamento?

Na Zona Sul de Ilhéus, entre o Bairro Nelson Costa e o Bairro Hernani Sá, foram construídos um cemitério urbano, Uma Central de Abastecimento, um Lixão, uma Feirinha, uma Igreja Evangélica, uma APAE, e um Posto Médico, correlação difícil de se entender, diante da adversidade de prestação de serviço de ambos equipamentos. Vejamos, o Cemitério recebe nossos entes queridos, o lixão está aberto à população, não só aos comerciantes e moradores como também aos que trazem até ossadas de boi em sacos plásticos de rede de mercados da redondeza, aumentando o menu dos urubus freqüentadores assíduos do lixão. A Feirinha recebe esses entes ainda em vida para comprar alimentos para lhes garantir a sobrevivência, alguns não tiveram muita sorte já se foram. A Central de Abastecimento abrange não só o alimento como também a bebida entre outros serviços de grandes relevâncias para a comunidade da zona sul, A Escola da APAE que cuida de crianças com deficiências especiais tenta dar o Maximo para essas crianças, portadoras de diversas especialidades, A Igreja Evangélica cuida da paz do espírito da comunidade e por ultimo o Posto Médico que cuida da saúde preventiva desta mesma comunidade.

A questão é:

Quando o Cemitério remove os restos mortais daqueles ali enterrados, e deixa a céu aberto aguardando a retirada dos mesmos, como é que ficam a Feirinha a central a Igreja as crianças da APAE e o Posto médico?
Quando o Lixão não é pego, como é que ficam o Cemitério a Feirinha a Central a Igreja as crianças da APAE e o Posto médico?
Quando a Central fica abandonada caindo o telhado e a iluminação precária e banheiros em ruínas?
Quando a Feirinha que se encontra descoberta e sem padronização e sem a fiscalização sanitária?
Quando a Igreja Evangélica não traz nem se envolve com projetos sociais na comunidade?
Quando o posto médico falta profissional, medicamentos, fila as madrugadas, e atendimento de pessoal sem a maior compaixão por aquele que só vai ao posto por que não tem jeito?
Será que não é hora de se pensar num novo cemitério para a zona sul?
video

FILA DA MADRUGADA


Saúde

Ouvidoria Itinerante visita unidades de saúde

A ouvidoria da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) iniciará na segunda-feira (dia 10) uma série de visitas às unidades de saúde. pondo em prática o Projeto Ouvidoria Itinerante. A ação visa coletar junto aos usuários dos serviços públicos de saúde sugestões, elogios, solicitações de serviços e críticas. O objetivo é aproximar cada vez mais a administração municipal do cidadão, além de melhorar os serviços prestados.

Em clima de reforma administrativa do governo Newton Lima eleito Prefeito de Ilhéus, 2009/2012. É preciso também buscar as soluções para os grandes problemas que vivem os cidadãos ilheenses principalmente aqueles que procuram as unidades de saúde do município. Cotidianamente verem-se nas madrugadas em frentes as unidades, filas de pessoas em busca de uma ficha para atendimento médico. Solução? Está longe de se ter, basta se tiver boa vontade para resolver. Mais vai ai uma grande dica: Como já dizia o saudoso apresentador Abelardo Barbosa (chacrinha) nada se cria tudo se copia. Salvador lançou a ouvidoria itinerante para visitar as unidades de saúde, que tal Ilhéus copiar a idéia, e tentar solucionar um dos vários problemas da saúde. Através da sugestões de quem sofre. Quem sabe não se chega a um denominador para acabar pelo menos com a fila da madrugada.