segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

É hospital para pobre sim!

Imagem - Internet
                                                         
Fotos: Roberto Corsário

            Não só para pobre o hospital costa do cacau foi construído, mais para todos que daquele instrumento de saúde, precise. Ontem, um dos membros da minha família necessitou de uma emergência hospitalar, e tivemos que levar para o Hospital Costa do Cacau.
            Imediatamente, seis profissionais já estavam a postos e a fazer os procedimentos necessários para salvar a vida daquela idosa que ali por volta das 23hs e 24 minutos, da noite de domingo (14) adentrara aquela unidade, praticamente sem vida, com problemas para respirar entre outros agônicos. Atendimento qualificado pude constatar, diante das mazelas que se encontra a saúde brasileira, para minha surpresa.
            Pena não poder tecer comentário positivo sobre a estrutura da unidade móvel de ambulância do SAMU, que atendeu em tempo hábil, seus componentes altamente profissionais, enquanto que suas vidas, andam a beira do abismo juntamente com a dos pacientes e seus acompanhantes, isto por que, a unidade está uma verdadeira sucata, com suas portas amarradas com elastics, os medicamentos vão caindo por cima do paciente, a agente do Samu, tem que em cuidar da (o) paciente, ficar cuidando desses que caem.
            Uma verdadeira vergonha, que precisa ser reconhecida pelo poder público e reverter essa situação, sob pena de ser culpabilizado por quaisquer danos àqueles que a unidade móvel possa causar.
            Como todos os setores a unidade hospitalar Costa do Cacau tem seus problemas, estes fáceis de se ajustar, como por exemplo o que vem acontecendo nas manhãs na unidade de triagem para aqueles que irão passar por procedimentos cirúrgicos, também, aqueles que chegam na unidade de emergência, diante da feira do chuchu, que alguns usuários querem fazer na sala de triagem, se faz necessário que se adote um serviço de som para a comunicação com esses feirantes vendedores de cultura inútil em local e hora inapropriado, não querendo aqui denegrir nenhum feirante.
            Um outro ponto negativo percebido é que por mais que se tenha boas e confortáveis cadeiras para parcela dos usuários, se faz necessário colocar mais se possível na área externa do hospital.
            Percebemos também uma preocupação pelo acumulo de pessoas no saguão da unidade hospitalar por parte da diretoria da unidade, porém percebemos também que o horário de alguns profissionais, principalmente para aqueles que liberam os corpos para familiares levarem da unidade deixa a desejar, famílias aguardavam desde das 5hs da manhã essa liberação que só aconteceram por volta de 9 hs.
            Críticas construtivas para que os ilheenses e de outras cidades que possam por vidas, utilizarem aquela unidade, “Hospital Regional Costa do Cacau” idealizado por tantos e entregue pelo Governador Rui Costa, na gestão de Dr Mario Alexandre, prefeito de Ilhéus, enalteçam esse grande instrumento de salvar vidas, seus funcionários e profissionais que constrói a dicotomia viver, morrer, tenham por longos tempos um bom local de trabalho e ótimo de atendimento.

            Quanto aos usuários frequentadores dessas unidades, não demonstrem através de sua urinada seu perfil cultural, tampouco sua distância para conviver com algo que foi construído para você, seja pobre, ou rico, de espirito se lhe convier, mais que seu semelhante possa fazer escolhas, “É hospital para pobre sim! Mais que saiba utilizar para não ficar como o Regional Luiz Viana Filho, sucateado e condenado a pobre para sempre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário