quarta-feira, 6 de julho de 2016

Autorizada construção de nova pista entre a Ponte Lomanto Júnior e o Terminal Urbano de Ilhéus

O Governo do Estado da Bahia autorizou, por meio da Companhia de Desenvolvimento Urbano (Conder), a emissão da ordem de serviço para o início da obra de construção de uma via alternativa entre a ponte Lomanto Júnior e o Terminal Rodoviário Urbano, via Avenida Misael Tavares, no centro da cidade de Ilhéus. O projeto da chamada “Alça da Ponte” foi apresentado ao governador Rui Costa pelo prefeito Jabes Ribeiro, como forma de desafogar o fluxo de veículos em horário de pico e melhorar o processo de mobilidade urbana.
O secretário municipal de Meio Ambiente e Urbanismo, Antônio Vieira, que acompanhou a elaboração do projeto e o andamento do processo de licitação, informou que o novo acesso faz parte do projeto de mobilidade urbana planejado pela administração municipal, que inclui, também, a redução do diâmetro da antiga Praça Cairu. A praça foi transformada em rotatória e possibilitou o surgimento de uma nova faixa de pista.

Com a alça da ponte, “os veículos que vierem da zona sul não precisarão mais acessar a Rua Amélia Nunes e desembocar na Cairu, realidade que contribui para grandes congestionamentos. Eles poderão descer diretamente na avenida Misael Tavares e, assim, chegar ao Centro, às áreas de estacionamento e às avenidas Dois de Julho, Soares Lopes e Princesa Isabel”, esclarece o secretário Antonio Vieira. 

Antonio Vieira acredita, ainda, que as intervenções complementarão os aspectos positivos da construção da segunda ponte Centro-Zona Sul. “No futuro, quando a segunda ponte estiver construída, essa ligação vai beneficiar especificamente a avenida Lomanto Júnior e o bairro do Pontal. Em tese, a nova ponte servirá para a população que reside depois da região pontalense”.

Obra - Ainda de acordo com Vieira, o novo acesso será pavimentado com asfalto e contará com sistema de iluminação, drenagem pluvial, guarda-corpos, passeios dos dois lados e sinalizações vertical e horizontal. “Além disso, em virtude da necessidade de aterro e taludes de corte, adotaremos duas técnicas de construção: para o aterro, usaremos gabiões, que são pedras arrumadas em gaiolas metálicas para a formação de grandes blocos visando a estabilização da área, e, para os taludes de corte, alvenarias de pedra argamassada”, diz.

Secretaria de Comunicação Social – Secom.


Nenhum comentário:

Postar um comentário