terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

“Ilhéus Folia 2016 representou o resgate da tradição do carnaval”, afirma prefeito








O prefeito Jabes Ribeiro considera que o carnaval não é apenas o resgate cultural de uma tradição, mas também um evento de incentivo à atividade econômica.
 
“Estou aqui no circuito da festa desde a tarde e não vi a Avenida vazia sequer um momento, isso fala mais que qualquer estatística de público ou estimativa”. Essa foi a opinião do prefeito Jabes Ribeiro, ao fazer uma avaliação do Ilhéus Folia – De volta a alegria, durante entrevista coletiva concedida à imprensa, na noite de domingo, 31, último dia da festa. Questionado por jornalistas, o prefeito afirmou que não tem dúvidas de que o evento representa o resgate da tradição do carnaval à cidade, “da nossa cultura, da alegria popular, já que há mais de dez anos não víamos trios arrastando multidões como aconteceu neste ano”.
O encontro com a imprensa aconteceu no camarote oficial, durante intervalo de apresentação dos blocos afro, e contou com a participação do vice-prefeito Carlos Machado (Cacá) e o secretário de Turismo, Josenaldo Cerqueira. Durante os três dias, foram 21 atrações em trios elétricos pela Avenida Soares Lopes, entre eles, artistas de projeção nacional a exemplo de Durval Lelys, Tatau, Ricardo Chaves, além de bandas como Olodum, Jamil, Duas Medidas,Tsunami, Na Pegada da Lôra, Negra Cor, Lordão, Avenida Sete, sem contar artistas locais, como Lordão, Zahra, Vera Cruz, banda de Bali, Realce, Sambágua e a banda A Vingadora, dona da que promete ser a música do verão brasileiro – Paredão Metralhadora, que arrastou mais de 60 mil pessoas na noite de sábado, 30, segundo levantamento da Secretaria Municipal de Turismo (Setur).
“Estimávamos um público de 100 mil pessoas nos três dias, mas, segundo dados da Polícia Militar e da Setur, superamos as expectativas, chegando 150 mil foliões na contagem geral e isso não se deve ao acaso”, comentou o prefeito ao falar da organização da festa, que contou com mais de 300 pessoas nos bastidores, além da segurança proporcionada por um efetivo de cerca de 400 agentes, entre policiais militares, civis e segurança privada.
Economia - O secretário Josenaldo Cerqueira destacou que um dos objetivos da festa, o de manter a economia ligada ao turismo do município aquecida, foi plenamente alcançado. “Tivemos hotéis e pousadas com ocupação de quase 100 por cento, o que revela a procura do turista por nossa cidade e o carnaval é estritamente responsável por isso, sem falar dos restaurantes, cabanas de praia, taxis, e outros tantos serviços bastante usados nesse período”.
A atividade econômica também foi destaque na Avenida Soares Lopes, circuito oficial da festa. Segundo o secretário de Indústria e Comércio, Roberto Garcia, foram mais de 200 comerciantes cadastrados, autorizados a comercializar bebidas e alimentos. “Desse fluxo, estimamos terem sido criados cerca de mil empregos temporários, com vendedores, carregadores, entre outros serviços”.
Segurança – O Major PM Câmara, comandante da 68ª Companhia Independente de Policiamento Militar, responsável pela segurança no circuito, avaliou a festa como tranquila, com casos normais de briga e pequenos furtos, “que sempre podem acontecer em locais onde há aglomeração de pessoas, mas buscamos sempre agir rápido para dispersar e manter a tranquilidade da festa”.
 Secretaria de Comunicação Social – Secom.

Nenhum comentário:

Postar um comentário