quarta-feira, 29 de abril de 2015

Em programa de rádio, prefeito fala da operação Ilhéus em Ação e das reformas de praças na cidade


A operação Ilhéus em Ação – Uma Cidade de Todos foi destaque do programa de rádio Linha Direta com o Prefeito desta quarta-feira, 29. De acordo com o gestor, a iniciativa mexe com todos os setores do município e tem como objetivo resolver problemas que se agravaram nos últimos meses. Para o prefeito, “essa ação vai mexer em todos os setores do município e, junto com a população, daremos uma nova cara a Ilhéus”.
Nesta edição, comentam a iniciativa também o vice-prefeito Carlos Machado (Cacá), destacado por Jabes para coordenar a ação, o presidente da Câmara de Vereadores, Tarcísio Paixão, o diretor da Associação de Moradores do Hernani Sá, Odailson Aranha, e a presidente da Associação de Moradores do bairro Ilhéus II, Maria do Socorro.
As reformas das praças São João Batista, no Pontal, e Doutor Antônio Vianna, no bairro Cidade Nova, por meio do programa Adote uma Praça, também foi abordado pelo prefeito. Segundo Jabes Ribeiro, a administração trabalha para que outros equipamentos do tipo sejam reformados e mais comunidades beneficiadas.
O Gerente de Tributos da Prefeitura de Ilhéus, Fernando Fernandes, alerta sobre o fim do prazo para pagamento com desconto de 15% do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU). Fernandes lembrou que, após o dia 30 deste mês, o desconto já não será mais válido, porém o tributo pode ser quitado em até nove vezes.
Secretaria de Comunicação Social – Secom.

Instituto Municipal de Ensino Eusínio Lavigne, em Ilhéus, passa por reforma e recebe climatização



 Unidade atende a 1200 estudantes das séries finais do ensino fundamental e da Educação de Jovens e Adultos
Localizado na Avenida Canavieiras, região central de Ilhéus, o Instituto Municipal de Ensino Eusínio Lavigne (IME), um dos símbolos da cidade, passa pela fase final de reforma, iniciada no mês de março pela Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedur). A unidade, que atende a 1200 estudantes das séries finais (6º ao 9º anos) e da Educação de Jovens e Adultos, também teve todas as salas climatizadas.
 De acordo com a diretora administrativa da Secretaria Municipal de Educação (Seduc), Silvana Pena, todo o prédio, que abriga 18 salas de aula além daquelas destinadas à área administrativa, foi pintado. O mobiliário está sendo totalmente trocado, além disso, os sistemas elétricos, hidráulicos e de iluminação foram trocados.
 Toda a fiação da unidade foi substituída visando suportar a instalação de condicionadores de ar, realizada em todas as salas da unidade escolar, lembra a secretária de Educação, Marlúcia Rocha. A diretora geral do IME, professora Sueli Dantas, afirmou que a climatização, assim como toda a reforma, permite aos professores, estudantes e funcionários administrativos condições mais confortáveis de trabalho. A escola conta, hoje, com 44 docentes que lecionam em 36 turmas somente nos turnos matutino e vespertino.
 Reformas – Nos últimos dois anos, as Secretarias de Desenvolvimento Urbano (Sedur) e de Educação (Seduc) promoveram reformas em 60% das 52 unidades escolares que compõem a rede municipal de ensino. As requalificações atingiram escolas do campo e da zona urbana de Ilhéus. A previsão é de que a última fase do serviço no IME seja concluída já na próxima semana.

Secretaria de Comunicação Social – Secom

Só Vendo Para Crer







Espera-se que essas imagens possam servir de reflexão a nossa sociedade, é isso que somos, queremos ser assim, podemos mudar, mude e ajude-me a mudar.

         Lembramos que Jesus ressuscitou num domingo bem cedo. Naquele mesmo domingo à tarde, Jesus apareceu aos discípulos e a outros que estavam reunidos. Eles ficaram assustados e com muito medo, e pensaram que estavam vendo um fantasma.

         Mas Jesus falou com eles e lhes mostrou as mãos e os pés. Depois ele abriu as mentes deles e eles entenderam o que foi escrito pelos profetas que o Messias tinha de sofrer e no terceiro dia ressuscitar.

         Mas Tomé, um dos discípulos, não estava com eles. Então os outros discípulos disseram a Tomé: − Nós vimos o Senhor! Tomé respondeu: − Se eu não puder ver o sinal dos cravos nas mãos dele, não tocar ali com o meu dedo, e não puser também a minha mão no lado dele, não acreditarei! Uma semana depois, os discípulos estavam reunidos outra vez e Tomé estava com eles.

         Mesmo com as portas fechadas, Jesus chegou e ficou no meio deles e falou: − Que a paz esteja com vocês! Em seguida disse a Tomé: − Ponha aqui o seu dedo, e veja as minhas mãos. Estenda a mão e ponha no meu lado. Pare de duvidar, e creia! − Meu Senhor e meu Deus! – respondeu Tomé. Jesus disse: 2 − Você crê porque está me vendo? Felizes os que crêem sem me ver! Então Jesus mandou-os ficar em Jerusalém até que o poder do céu caísse sobre eles. 

         Só vendo para crer é dessa forma que precisa agir, como Tomé em relação à aparição de Jesus para os outros discípulos, pois se não for assim não irão nunca acreditar que são os causadores do lixão ao lado da escola (CAIC), aquele que tiver tempo e queira entender o que muitos desconhecem, disponibilize alguns minutos nas proximidades do local, e verá que os supermercados, sorveterias, peixarias, sacolões, sujeiras dos fundos de quintais, restos de materiais das construções e outros todos.

         Esses estabelecimentos e indivíduos sociais, que, fornecem serviços e habitam a zona sul, pela frente vos fornecem e vendem alimentos e vários tipos de serviços, e por trás descartam seus lixos e apetrechos impuros na porta da escola da criança, que ali estuda ou quem sabe, crescem aprendiz do habitat a que lhe é proporcionado, que lhes é oferecido em única chance, condição de ser resultado do meio, lhes propondo que no futuro tragam consigo os resquícios do sistema inquisitório, por que não mudar hoje antes de ser tarde.

         Prometendo ao futuro dessas crianças uma melhor qualidade de vida, favorecendo a elas a escolha de um caminho melhor, desde seu aprendizado até sua construção social, sob pena de não ter nada na história para ser contada sobre sua civilidade.



Secretaria de Educação de Ilhéus forma alunos do Projovem Urbano


Turma terá certificado de conclusão do ensino fundamental II e do curso profissionalizante de serviços pessoais
 A Secretaria de Educação (Seduc) de Ilhéus realiza nesta quarta-feira, 29, a formatura de 22 estudantes que integram o núcleo do Projovem Urbano instalado na Escola Municipal CAIC Darcy Ribeiro, localizada no bairro Hernani Sá, zona sul da cidade. A certificação será às 19h, na Loja Maçônica Regeneração Sul Bahiano, na Rua Antônio Lavigne de Lemos (ao lado da Igreja São Jorge).
A turma, iniciada em 2013, concluiu os dezoito meses do curso com conteúdo do ensino fundamental II. Em paralelo, por meio do programa, participaram da qualificação profissional na área de serviços pessoais, que abrange cursos como de manicure, pedicure, maquiador, depilador e cabeleireiro. 
Projovem Urbano – O programa é mantido em parceria com o Governo Federal, com contrapartida do município. Os atendidos pelo Projovem têm acesso à educação básica, que engloba o ensino fundamental, e complementam o aprendizado com cursos profissionalizantes. Além da turma que conclui as atividades nesta quarta-feira, 29, em Ilhéus há o terceiro núcleo do programa, com 130 alunos matriculados, em funcionamento na Escola Pequeno Davi, no Malhado, zona norte.
 Secretaria de Comunicação Social – Secom

Movimento Pontal Criativo reconhece que a obra de reforma da praça estava inacabada





No encontro foram discutidos últimos ajustes para entrega da Praça São João Batista, localizada no Pontal, totalmente reformada.
 O prefeito de Ilhéus, Jabes Ribeiro, recebeu, na tarde de terça-feira, 28, no Palácio Paranaguá, 15 integrantes do movimento Pontal Criativo, integrado por artesãos, comerciantes e moradores do bairro.  A reunião foi realizada a pedido do Pontal Criativo para acertar detalhes visando a entrega oficial da obra de reforma da Praça São João Batista, a principal do bairro, e que é palco de atividades do movimento.  
 A recuperação e reforma da Praça São João Batista foi uma reivindicação feita ao prefeito Jabes Ribeiro ainda durante a campanha eleitoral, através do Movimento Pontalense de Cidadania. Como a Prefeitura apresenta dificuldades financeiras, o prefeito Jabes Ribeiro reformulou o decreto do programa Adote uma Praça e buscou o apoio da empresa Cidadelle, do Grupo André Guimarães, que aceitou participar do projeto, com a participação da arquiteta Simone Flores.
 A Praça São João tornou-se um assunto polêmico, no último final de semana, quando um grupo de moradores resolveu tirar o tapume de proteção da obra, que ainda se encontra inacabada. Na oportunidade, o prefeito reafirmou que a iniciativa de moradores de retirar os tapumes que cercavam a obra foi um ato legítimo. No entanto, lembrou que, de acordo com técnicos da prefeitura que acompanharam a reforma, ainda faltam pequenos ajustes para permitir seu pleno funcionamento. Citou, por exemplo, o sistema de iluminação, que ainda não está completamente instalado, e a definição acerca dos permissionários que vão ocupar os seis boxes comerciais existentes.
 Jabes Ribeiro argumentou não ser recomendável entregar um equipamento desse porte sem que todo o projeto tenha sido executado. Porta-voz do grupo e um dos propositores da reforma da praça, José Resende Mendonça concordou com as palavras do prefeito e afirmou que a organização sempre acompanhou o serviço e reconheceu a necessidade de pequenos ajustes no equipamento.
 Entrega – Na reunião, ficou decidido que o Pontal Criativo vai sugerir como será feita a entrega oficial do equipamento e a possível data. Segundo José Resende Mendonça, apesar de já estar aberta à comunidade, ainda se faz necessário um ato que marque a devolução da praça. “A reforma foi algo muito batalhado por nós, moradores do Pontal, e devemos, sim, marcar esse momento. Assim, nos comprometemos com o prefeito e os moradores para definirmos um ato de entrega e sugerir uma data”, finalizou Mendonça.
 Boxes – O prefeito Jabes Ribeiro e movimento Pontal Criativo concordaram que, dos seis boxes construídos, quatro serão cedidos aos comerciantes que já atuavam antes da reforma. Um será destinado a uma área comum para os comerciantes, onde poderão guardar material de limpeza, para que não haja contaminação dos alimentos comercializados, atendendo exigência da Vigilância Sanitária. O último foi oferecido ao próprio Pontal Criativo, que vai analisar se ocupa ou se disponibiliza ao município para que seja licitado e legalmente entregue a outro comerciante.

Secretaria de Comunicação Social – Secom

terça-feira, 28 de abril de 2015

SEGUNDO PROFESSORES, GOVERNO “DISTORCE DADOS SOBRE UNIVERSIDADES”

Charge de Rice Araújo.
Charge de Rice Araújo.

Os professores das universidades estaduais da Bahia (UESC, UNEB, UESB e UEFS) afirmam que o governo estadual impôs cortes de quase R$ 20 milhões aos orçamentos de 2014 e 2015 das instituições de ensino superior. A Secretaria de Educação do Estado nega – veja aqui. O Fórum das Associações docentes do Estado da Bahia (ADUSB, ADUSC, ADUFS e ADUNEB) divulgou uma nota sobre o impasse: o “governo da Bahia distorce dados sobre as universidades estaduais”. Leia a íntegra.

“CONTRA FATOS NÃO HÁ ARGUMENTOS: GOVERNO DA BAHIA DISTORCE DADOS SOBRE AS UNIVERSIDADES ESTADUAIS

Se o orçamento não aumentar, as universidades vão parar. 7% da RLI já!

O governo Rui Costa, em 08 de abril, na tentativa de responder a paralisação e ato público,realizado por mais de 500 pessoas da comunidade acadêmica das Universidades Estaduais da Bahia (Uebas), divulgou uma nota à imprensa em que, omitindo a verdade dos fatos, fez um jogo de números para tentar enganar a sociedade.

Para colocar a opinião pública contra professores, professoras, estudantes e técnicos, que reivindicam 7% da Receita Líquida de Impostos para as universidades, o governo afirmou que aumentou os recursos deste ano em 3,8%. Todavia, seus representantes não explicam que para chegar ao valor divulgado, foram somadas as rubricas que constituem o orçamento das UEBAs: pessoal (salários de professores e técnicos), manutenção e finalística de custeio (recursos destinados ao pagamento das despesascom energia elétrica, material de limpeza e escritório, aquisição de passagem para apresentação de trabalhos, transporte para aulas de campo, compra de livros eequipamento de laboratório, etc). A denúncia feita pelos docentes refere-se aos cortes emmanutenção e finalística de custeio, verbas que devem garantir as atividades de ensino, pesquisa e extensão. São nesses setores, ligados ao cotidiano da universidade, que a redução ultrapassa R$ 19 milhões nos últimos dois anos. Desafiamos o governo a desmentir esses números.


Por trás dos números absolutos, utilizados pelo governodo PT para enganar a sociedade, está o crescimento das universidades. Crescimento, aliás, que visa a ampliação do ensino superior na Bahia e éfruto das lutas da comunidade acadêmica nas diversas mesas de negociação e greves.

O Fórum das ADs não desconhece o crescimento do orçamento global das Universidades. Contudo, é importante ficar claro que o governo não tem realizado o equilíbrio entre os gastos com pessoal e as verbas que garantem o cotidiano da universidade. Isto significa que por força da lei, o governo garante a folha de pagamento e para compensar, reduz os gastos na rubrica de manutenção, investimento e custeio. O divulgado crescimento de 3,8% sequer repõe a inflação do ano passado de 6,4%.

O posicionamento apresentado pelo governo é um desrespeito ao povo baiano. Contra fatos não há argumentos: mais de 500 professores estão com promoções, progressões e mudanças de regime de trabalho negadas. Estudantes não tem uma política de permanência adequada e não há recurso para atividades de ensino, pesquisa e extensão. O governo distorce as informações, mas a comunidade acadêmica conhece a realidade e está pronta para defender as Universidades Estaduais da Bahia.

Importância histórica

A Bahia tem índices de analfabetismo e de avaliação do ensino ainda inferiores ao resto do país. Conforme dados do censo IBGE de 2010 e do INEP de 2013, no Brasil a taxa de analfabetismo era de 9,6%, na Bahia era de 16,6%, sem contar com o índice de jovens em idade escolar: 2,5 % (Brasil) e 3,7 (Bahia). O IDEB para a 3.a série do Ensino Médio no Brasil em 2013 foi de 3,4, enquanto que na Bahia o índice foi de 3,0.
Mesmo com a falta de vontade política dos diversos governos para combater essa situação, e com poucos investimentos no ensino superior, as Ueba deram uma enorme contribuição para modificar esse quadro. A ampliação das vagas permitiu à juventude ingressar nas universidades estaduais em muitas regiões da Bahia e, com isso, ter mais opções e possibilidades de uma boa formação. Avançamos na pesquisa científica e na extensão, tendo como objetivo atender às necessidades da maioria da população. Nossa atuação científico-pedagógica possibilitou, apesar das enormes carências, uma fundamental contribuição ao desenvolvimento do Estado.

Precarização

Apesar da importância do papel das universidades baianas no desenvolvimento social do Estado, as condições de funcionamento das UEBA estão cada dia mais comprometidas. O orçamento insuficiente prejudica o dia a dia das universidades: faltam professores, falta material para os laboratórios, não temos salas de aulas na quantidade necessária, não temos espaço para o trabalho docente (infraestrutura), a verba para a permanência estudantil não garante as condições mínimas (moradia, transporte e alimentação). Soma-se a esse cenário, o total desrespeito às leis trabalhistas: os trabalhadores(as) terceirizados(as) sem receber salários, os técnicos têm suas condições de trabalho aviltadas, professores(as) que, com muito esforço, avançam na sua titulação, não são promovidos na carreira, ficando por anos em filas de espera. É um quadro de desolação e prejuízo total.

Cofre cheio

Apesar desse cenário de destruição da universidade pública baiana, o governo encontra-se numa situação econômica muito favorável. O Estado da Bahia tem aumentado muito a sua arrecadação. Dados do Portal Transparência Bahia mostram um superávit de R$ 1.623.386 (Um bilhão seiscentos e vinte e três milhões e trezentos e oitenta e seis mil reais), no ano de 2014. Esse número significa que houve o repasse de caixa da gestão do governo Jaques Wagner para o atual, Rui Costa. Nosso Estado tem se mantido distante dos limites da Lei de Responsabilidade Fiscal, tendo inclusive, no momento, caixa para pagar o reajuste linear dos servidores públicos, de 6,41%, retroativo a janeiro, sem comprometer o planejamento.

O ICMS nos dois últimos anos cresceu mais e 11%, em termos reais(Fonte: J. Furquim do IAF), o que assegurou melhora nas contas públicas do Estado. Nos últimos dois anos o governo a Bahia destinou para o pagamento de amortizações e juros da dívida mais de 3,5 bilhões. O orçamento (estimativa) de 2015 será 8,3% maior que o de 2014. Já os recursos para educação passarão de R$ 4,804 bilhões para R$ 4,817 bilhões, implicando em um crescimento de menos de 0,5% (meio por cento) que não repõem a inflação do período que foi de 6,5%. Certamente o governo pretende com isso economizar para pagar juros a dívida. Essa tem sido a prioridade dos governos petistas na Bahia.

Contudo, nada disso tem contribuído para mudar a crise das universidades estaduais. A marca desses últimos 8 anos tem sido o aumento no superávit primário, ou seja, o dinheiro que “sobra” nas contas do governo depois de pagar as despesas no final do ano. A estimativa para 2015 é acumular R$ 812 milhões. Mas nada disso vai para a educação. O objetivo é repassar o dinheiro ao capital especulativo; cobrir o prejuízo fiscal causado pelas empresas que se estabelecerem na Bahia com isenção de impostos, quase sempre com baixas vagas de emprego; financiar obras enormes para beneficiar a infraestrutura, que possibilita ao setor empresarial ter negócios rentáveis na agricultura, na indústria e, principalmente, no setor de serviços das empreiteiras. Portanto, a Bahia tem sido um grande negócio para o empresariado.

Greve

Sabemos que as universidades estaduais, com o nosso trabalho qualificado, contribui há décadas para modificar os indicadores sociais do Estado. Da mesma maneira, sabemos que o único caminho para modificar a situação crítica em que as UEBA se encontram é a luta. Não abriremos mão dela. Lutaremos pela valorização do trabalho docente, pelo papel social das nossas universidades e para continuar a contribuir com o desenvolvimento da Bahia.
Conhecemos a prática desses últimos governos. Não adianta utilizar meios de comunicação para ameaçar o funcionalismo público e confundir a população. Estamos firmes na defesa do ensino público superior da Bahia. Se não negociar, as universidades vão parar!

Mais uma vez, apresentamos a nossa pauta de reivindicações 2015. Professoras e Professores exigem respeito e o inicio imediato das negociações. Relembramos que a categoria docente já aprovou o Estado de greve nas quatro universidades estaduais da Bahia e, caso o governo não responda ao movimento, na próxima rodada de assembleias, na primeira semana de maio, a aprovação da greve por tempo indeterminado será pautada.

Pauta de reivindicações da categoria docente para o ano de 2015

1. Revogação da lei 7.176/97;

2. Destinação de, no mínimo de 7% da Receita Liquida de Impostos do Estado da Bahia para o orçamento anual, com revisão do percentual a cada dois anos, de tal forma que o orçamento do ano não seja inferior ao executado no ano anterior e que seja assegurada a autonomia didático-científica, administrativa e de gestão financeira e patrimonial das Universidades Estaduais da Bahia;

3. Ampliação do quadro de vagas para professores e a sua desvinculação das classes;

4.Respeito aos direitos trabalhistas dos docentes, a exemplo de promoções, progressões, mudanças de regime de trabalho e insalubridade;

5. Alterações no Estatuto do Magistério Superior que valorizem o trabalho docente (aumento nos interstícios entre as Classes, Incentivos de Pós-graduação e Regime de Dedicação Exclusiva);

6. Reposição integral em única parcela da inflação, utilizando índice igual ou superior ao IPCA.

Salvador, 20 de abril de 2015″

Fórum das Associações docentes do Estado da Bahia (ADUSB, ADUSC, ADUFS e ADUNEB).

Postado no Blog do Gusmão

Vinte caçambas de entulho retiradas da zona sul no 1º dia da operação Ilhéus em Ação


Uma imagem do antes 

Área verde que será revitalizada pelos moradores e município

Vice Prefeito e Coordenador do Programa Ação Ilhéus, Cidade de todos.
Coordenador da Sedur, Cesar benevides
Hoje no final da tarde

Os principais pontos de entulho na área sul, nas proximidades do CAIC, na cabeceira do aeroporto e na rodovia Ilhéus-Olivença, foram totalmente limpos.
 O primeiro dia da operação “Ilhéus em Ação - Cidade de Todos” ocupou a zona sul da cidade, desde a ponte do Pontal até o km 2 da rodovia Ilhéus-Olivença. 
Segundo o vice-prefeito, Carlos Machado (Cacá), coordenador da operação, somente em três pontos da cidade, próximo ao colégio CAIC, no bairro Hernani Sá, na cabeceira do aeroporto e na rodovia Ilhéus-Olivença, foram retiradas 20 caçambas de entulho despejado irregularmente.

Segundo Cacá, o primeiro dia de trabalho contou com uma equipe de cerca de cem trabalhadores no campo, além de frota de caçambas e máquinas pesadas. Para otimizar a ação, o Sul da cidade foi dividido em eixos que formam a Zona I e para dar mais celeridade aos veículos pesados envolvidos no trabalho, como os caminhões, a frota poderá usar o corredor para transporte público  ao longo da Avenida Lomanto Júnior, no Pontal.

Somente nas proximidades do CAIC – Centro de Atenção Integral à Criança, segundo o vice-prefeito, foram retiradas 14 caçambas de entulho depositado ali por carroceiros que recolhem o material pelas ruas dos bairros Hernani Sá, São Francisco, Barreira e adjacências. Na rodovia Ilhéus-Olivença, mais quatro caçambas de entulho foram recolhidas. Na cabeceira da ponte, um dos pontos de maior visibilidade de Ilhéus, foi removido, com auxílio de tratores e caminhões, material suficiente para encher duas caçambas com restos de construções e móveis.

O vice-prefeito afirmou também que todo o lixo produzido com roçagem, capinagem, poda de árvore e raspagem de meio-fio será retirado imediatamente pela prefeitura. “Temos de dar o exemplo. Se, durante o processo de limpeza, produzimos algum tipo de lixo, vamos retirar o mais rápido possível”, enfatizou.

Apoio – Coordenador da Operação, por solicitação do prefeito Jabes Ribeiro, Cacá afirmou estar contente pela receptividade da população. “Enquanto estávamos em campo, ouvimos palavras de apoio dos moradores. Acredito que, com a participação dos cidadãos, este trabalho terá o êxito que esperamos”. O vice-prefeito pediu a colaboração dos moradores para que não despejem entulho ou lixo doméstico em locais inapropriados.

Secretaria de Comunicação Social – Secom

Uso de eletrônicos antes de dormir pode causar doenças, dizem especialistas

Uso de eletrônicos antes de dormir pode causar doenças, dizem especialistas
A crescente importância da tecnologia pessoal, com smartphones, tablets e computadores de telas luminosas e hiperconectadas, vem impactando o sono das pessoas. As consequências disso, afirmam especialistas, são claras: a curto prazo, menos horas e pior qualidade de sono, cansaço, problemas de memória; já a longo prazo, propensão a problemas cardíacos e diversas outras doenças. "Passamos o dia todo trabalhando, envolvidos em mil coisas. Ao pararmos para descansar, normalmente na hora de dormir, é quando temos tempo para verificar o que está acontecendo no mundo" afirma uma professora paulista que se identifica com a situação. Uma pesquisa realizada em 2013 pela Fundação Nacional do Sono dos EUA com 1.500 adultos selecionados no país, no Canadá, no México, no Reino Unido, na Alemanha e no Japão indica que mais da metade dos americanos, canadenses e ingleses, e pelo menos dois terços dos japoneses, usam algum tipo de dispositivo eletrônico ao menos uma hora antes de ir para a cama.
 
Por conta disso, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA classifica a insuficiência de sono como uma epidemia de saúde pública desde 2011. E o problema não é apenas comportamental. Conforme explica Rosa Hasan, neurologista da Associação Brasileira do Sono (ABS), smartphones, tablets e computadores têm um impacto fisiológico real em nosso organismo. "Ao manterem esses dispositivos perto da cama, as pessoas simplesmente não conseguem relaxar, por causa das notificações. Mas há um fator fisiológico também: a luz desses aparelhos inibe a produção de melatonina pelo nosso corpo, um hormônio que nos ajuda a regular o sono", conta. Em paralelo a essa constatação, pesquisadores investigam há muito se a exposição prolongada à radiação emitida por celulares poderia aumentar as chances de câncer em usuários — algo que, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), ainda não foi cientificamente comprovado. 
 

 
Neurologista do Instituto do Sono, em São Paulo, Luciano Ribeiro reconhece a dificuldade de conscientizar as pessoas, principalmente os mais jovens, sobre os problemas de uma rotina de sono de menos de seis horas por noite, já que muitos não sentem os problemas a curto prazo desse hábito. No entanto, ele alerta que as pessoas devem ter em mente as possíveis consequências futuras desse hábito. "Diversos estudos mostram que as pessoas que sofrem uma privação crônica de sono acabam sofrendo maior incidência de problemas cardiovasculares, envelhecimento precoce e doenças mentais. Em alguns casos, esses problemas começam a aparecer apenas dez anos depois do início dessa rotina de sono reduzido", destaca.
 
Por isso, Ribeiro recomenda autocontrole na hora de ir para cama: aparelhos eletrônicos devem ficar desligados ou longe do quarto para evitar interrupções. Ele ainda alerta que que de nada adianta dormir pouco todos os dias e tentar tirar o atraso nos finais de semana. "A cama deve ser um espaço de descanso, sem que as pessoas levem trabalho ou aparelhos para ele, pois, se o fizerem, estarão sinalizando para o corpo que, ao deitar, ele não deve relaxar. Além disso, é importante ter um horário regular para deitar e levantar, aliado à prática de exercícios. Dormir mais no final de semana para compensar o tempo perdido nos outros dias não é jeito de combater a privação crônica do sono", informa.

Postado por http://blogefecinco.blogspot.com.br/2015/04/uso-de-eletronicos-antes-de-dormir-pode.html
Fonte: Holofote

Matéria que nos deixa indignado e assustado

RETORNO ÀS AULAS EM 27 DE ABRIL?


FOTO JULIO GOMESPor Julio Gomes/Publicado hoje (27) no Facebook

Parece mentira ou brincadeira. Mas não é. A rede pública municipal de ensino de Ilhéus iniciou hoje, dia 27 de abril, o ano letivo referente a 2015.

Como se sabe, por conta dos dias sem aula no ano passado, relacionados tanto à Copa do Mundo da FIFA quanto à greve dos professores do Município de Ilhéus, o ano letivo de 2014 só terminou no final de fevereiro de 2015. Após um mês de necessárias, urgentes e curtas férias – que decerto não propiciaram o devido descanso nem aos professores nem aos alunos – reiniciam-se os estudos, sem alarde, pois ninguém propagandeia o que é vexatório.

Não se trata aqui de recriminar aos professores em seu sagrado direito de greve, que frequentemente se torna a única alternativa para pressionar patrões – neste caso o prefeito, mas poderia ser o governador ou mesmo a presidente – para que negocie e conceda à categoria os reajustes necessários à obtenção ou manutenção de uma remuneração digna.

Trata-se, isto sim, de avaliar como se encontra a Educação Pública em nosso município, em nosso país, e seus reflexos sobre o conjunto da sociedade.

No Estado da Bahia, a situação do ensino público não é muito diferente. As escolas estaduais iniciaram o ano letivo na data prevista, em fevereiro, só que, logo de cara, passaram mais de duas semanas sem funcionar, por conta do não pagamento ao pessoal de apoio da educação: merendeiras, auxiliares de limpeza, censores, porteiros etc.

Após isto tivemos, no estado, mais uma semana perdida para a “montagem do horário”, algo que assisto há inacreditáveis 23 anos, ou seja, desde 1992, quando passei a lecionar nas turmas de ensino básico e de nível médio da rede estadual.


Depois vieram, na rede estadual, as paralizações, feriados e enforcamentos. Resultado: Desde que iniciamos o ano letivo, tivemos apenas algo em torno de 50% das aulas, comprometendo duramente anão só a qualidade do ensino, mas a instituição Escola Pública em seu funcionamento, imagem e eficácia no cumprimento de sua missão social.

Não desejo me estender mais sobre os fatos. Eles se repetem, com algumas pequenas variações, em todos os anos, consolidando o desastre em que se encontra, hoje, a educação pública em nosso país.

Desejo terminar propondo uma saída, uma alternativa, que se não muda o quadro do ensino público, pode fazer toda a diferença para sua família e para o futuro de seus filhos:

Se você tem um mínimo de condições, um mínimo de recursos, faça um sacrifício – deixe de trocar de carro, de viajar ou de gastar tanto com festas, com roupas ou com bens de uso e consumo imediato, muitos deles perfeitamente dispensáveis – e matricule seus filhos(as) em uma boa instituição particular de ensino!

Pague. Sacrifique-se. Faça este investimento. E coloque seus filhos no melhor, dando-lhes a oportunidade de, querendo, disporem dos meios necessários para fazerem e lutarem por si mesmo com reais chances de sucesso, já que providos das melhores ferramentas de educação escolar, para vencer os desafios da vida.

Seus filhos(as) e sua consciência lhe agradecerão profunda e profusamente, em um futuro bem mais próximo do que você imagina.

Julio Cezar de Oliveira Gomes é graduado em História e em Direito pela UESC. E-mail: juliogomesartigos@gmail.com

Dia 30 de abril: Greve Nacional dos/as trabalhadores da educação básica pública








Postado por 

segunda-feira, 27 de abril de 2015

Programa Ilhéus em Ação mobiliza mais de 100 trabalhadores em limpeza na Zona Sul

As intervenções estão concentradas na zona sul da cidade, com a execução de diversos serviços de melhoria. Entre eles, roçagem, remoção de entulhos, poda de árvores, limpeza de canais, iluminação, e raspagem e pintura de meios-fios.
 Com a participação de mais de 100 trabalhadores, teve início na manhã desta segunda-feira, dia 27, em diversos pontos da zona sul da cidade, a operação “Ilhéus em Ação – Cidade de Todos”, iniciativa lançada pelo prefeito Jabes Ribeiro, voltada para a execução de uma série de serviços de melhorias em bairros da cidade. Nos próximos dias, com o auxílio de caçambas, caminhões, retroescavadeira e pá-carregadeira, a área sul de Ilhéus será favorecida por intervenções como roçagem, remoção de entulhos, poda de árvores, limpeza de canais, iluminação, e raspagem e pintura de meios-fios.  
O vice-prefeito e coordenador da operação “Ilhéus em Ação”, Carlos Machado (Cacá), informa que a segunda fase do trabalho incluirá tapa-buracos, recapeamento asfáltico, instalação de semáforos e novos abrigos para passageiros de ônibus, revitalização de quadras poliesportivas, recuperação de passeios, recomposição de manilhas e alinhamento de meios-fios. Ele lembra, ainda, que para esta Operação a cidade foi dividida em quatro zonas: a primeira abrange os bairros da zona sul, como a Sapetinga, Pontal, Hernani Sá (Urbis), Nelson Costa, Nova Brasília, Ilhéus II e Nossa Senhora da Vitória.
Carlos Machado destaca que a zona 2 abrange a área central de Ilhéus e o bairro Teotônio Vilela, a zona 3, a área norte, e a zona 4, os bairros do Salobrinho, Banco da Vitória e Distritos Rurais. “É importante reiterar que esse é um trabalho de caráter permanente. Ou seja, após dos serviços, teremos as ações de manutenção e de fiscalização”, comenta o vice-prefeito.
 Cidadania - Durante o lançamento da Operação “Ilhéus em Ação”, o prefeito Jabes Ribeiro enfatizou que a intenção é que o projeto contemple ações que reforcem a cidadania dos moradores, conscientizando a população para o seu papel enquanto agente de transformação e manutenção da ordem na cidade.
 Na oportunidade, o prefeito Jabes Ribeiro explicou que o ponto de partida do projeto foi o diagnóstico de problemas que se agravaram em diversos pontos da cidade, como o descarte de entulho em ruas e avenidas. “Para a realização desse trabalho, mapeamos os pontos de ônibus danificados, identificamos aqueles terrenos onde se costuma colocar entulho e lixo irregularmente, as vias que se encontram danificadas e as localidades com mato alto”, comentou.
 Secretaria de Comunicação Social – Secom.